Compartilhe esse conteúdo

Advogados conseguem que Banco do Brasil e Santander paguem mais de R$ 184 mil para clientes

O Banco do Brasil (BB) foi condenado a pagar R$ 7.880,00 por danos morais e R$ 6.687,92 a título de reparação material a uma cliente idosa que foi vítima de fraude dentro de uma agência bancária da instituição.

Para a juíza da 40ª vara Cível de São Paulo, o BB deveria comprovar que a prestação do serviço foi segura, com a adoção das medidas necessárias para coibir a atuação de golpista, mas isto não aconteceu.

De acordo com o portal Migalhas, a autora foi abordada em caixa-eletrônico por falso funcionário, que solicitou à idosa que inserisse novamente o cartão na máquina, lhe fornecendo a senha. O homem lhe devolveu cartão semelhante, mas em nome de outra pessoa. Posteriormente, fez saques, empréstimos e outras transações em sua conta.

Mesmo tendo a autora comunicado o BB e realizado boletim de ocorrência, a instituição lhe cobrou os valores devidos. Com isso, a consumidora teve que realizar empréstimo em outro banco e teve seu nome negativado.

Já o Banco Santander terá de restituir mais de R$ 170 mil a uma empresa, devido ao extravio de malote com cheque destinado ao pagamento de tributo. O cheque da empresa foi usado para pagar títulos emitidos por uma quadrilha, informa o Migalhas.

O processo foi julgado pela 22ª câmara de Direito Privado do TJ/SP. Nele consta que as relações comerciais entre ambos tiveram início em 1997, e, para facilitar os negócios, o banco sugeriu que a autora passasse a utilizar os serviços de malote. Em julho de 2008, a autora então procedeu ao pagamento em cheque do IPI mensal, mas em julho de 2009 teve negado pedido de certidão negativa de débitos perante a Receita Federal, sob o argumento de que este tributo estava pendente.

A autora questionou o ocorrido e recebeu a informação do banco de que os dados do título quitado com seu cheque referiam-se a outra empresa. No caso, ficou constatado que a ação foi resultado de fraude interna, na qual os recursos foram destinados a pagar títulos emitidos por uma quadrilha.

Imagem freepik.com

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *