Compartilhe esse conteúdo

Candidato ao cargo de professor de educação profissional – saxofone lesado ganha oportunidade de fazer nova prova prática

A segunda fase do concurso público realizado pela Prefeitura de Cubatão e pela Fundação Vunesp, em 2010, para o cargo de professor de educação profissional – saxofone foi anulado pela juíza Suzana Pereira da Silva, da 3ª da Comarca de Cubatão, por violação a isonomia do processo seletivo.

“Com este feito inédito conquistamos o direito do candidato realizar uma nova prova prática”, conta o advogado que defendeu o caso Fabricio Sicchierolli Posocco, do escritório Posocco & Associados.

Segundo ele, o candidato procurou a Justiça para anular a segunda fase do concurso. Na sentença, a juíza responsável apontou falhas suficientes para anular também a primeira fase.

No dia da prova objetiva a Vunesp confirmou que faltaram alguns cadernos de questões e que, em razão disso, foi necessário que alguns candidatos aguardassem até que cópias fossem providenciadas. Neste período, os demais concorrentes que já estavam com o seus cadernos de questões puderam iniciar o teste antes dos demais, o que na opinião da juíza violou o princípio da isonomia entre os candidatos.

Na segunda fase, etapa da prova prática, a magistrada reconheceu outras falhas, como ausência de comprovação de que os membros componentes da banca examinadora da prova prática tinham a qualificação necessária para ocupar tal posição; problemas relacionados aos quesitos analisados para a prova prática (subjetivos da banca) e não delimitados pela organização do concurso; impossibilidade manifesta dos candidatos terem acesso aos resultados da prova prática e aos quesitos analisados pela banca para poder apresentar recurso à comissão julgadora, salientando que os mesmos somente tinham à disposição uma tela em branco. Essa situação desrespeitou as regras do próprio concurso público e do edital.

Diante das irregularidades, a juíza Suzana Pereira da Silva deu ganho de causa para o candidato, anulando a segunda fase do concurso público.

Esta notícia repercutiu na rádio CBN Santos em 2014. Mas, vale de exemplo para os candidatos a concurso público em todo o país. Se sentir lesado, busque seus direitos, através da OAB da sua cidade, a defensoria pública ou um advogado de sua confiança.

Foto: freepik/marcinbsmolinski

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *