Compartilhe esse conteúdo

Com o isolamento, aumentaram brigas por causa de tarefas domésticas, trabalho, estudo, além de disputa por espaços no lar

Já são quase 80 dias de isolamento social para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Nesse período, as famílias tiveram de transferir trabalho, escola e lazer para dentro de casa. O que trouxe também novos conflitos entre os membros.

Com a nova rotina, estão surgindo e se intensificando discussões e conflitos por causa de tarefas domésticas, trabalho ou estudo, além de disputa por espaços e privacidade. Situações que atrapalham a harmonia das famílias, segundo os especialistas.

O médico e psicólogo Roberto Debski frisou que a humanidade vive hoje um tempo inusitado, nunca vivido na história recente.

“As pressões emocionais do isolamento, o medo da doença, a alteração da rotina dos membros da família, a preocupação com familiares de risco, com as finanças e outras têm levado as pessoas a um aumento nos índices de estresse, com a potencialização dos conflitos nos relacionamentos familiares”, disse.

Além de brigas entre pais e filhos e irmãos, conflitos entre casais têm registrado aumento.

Segundo o advogado Fabricio Posocco, desentendimento entre os cônjuges é um dos novos conflitos que têm se evidenciado durante o isolamento.

“Há um crescimento do número de procura por informações sobre divórcios. Pesquisas demonstram que o isolamento social traz aos participantes um aumento das cargas emocionais que não podem ser extravasadas no ambiente interno da casa. Essa situação acaba por trazer um ambiente propício à explosão emocional e a própria falta de paciência, gerando assim diversos conflitos familiares”.

De acordo com uma nota publicada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, em parceria com a empresa Deocode, entre os meses de fevereiro e abril de 2020, houve um aumento de 431% nos relatos de brigas de casais no Twitter.

Advogada especialista em Direito de Família, Valeria Silva acredita que as incertezas e o medo do cenário ativam sentimentos anteriores à pandemia.

“Busque sempre orientação. Jamais tomem medidas sem orientação profissional”.

Dicas para evitar conflitos

Tarefas domésticas
Com o isolamento, a quantidade de tarefas domésticas aumentou. A má divisão das tarefas ou o descumprimento de combinados podem ser motivos de brigas. A hora e a pessoa determinada para a ação podem ser gatilho para discussão. É fundamental estabelecer acordos na casa e cumprir com o combinado, em uma divisão justa de tarefas na qual ninguém fique sobrecarregado. Os filhos, a partir dos 5 anos, já podem ajudar.

Uso dos espaços
Com todo mundo em casa durante 24 horas, tem que haver acordos e planejamento para gerenciar o uso de espaços individuais. É preciso criar uma rotina para todos da casa, de acordo com as necessidades. É preciso estar disposto a fazer acordos.

Uso de eletrônicos
Com aulas online, conversa com amigos, televisão e filmes, crianças, adolescentes e até mesmo muitos adultos estão passando mais tempo do que deveriam em frente das telas. O uso desses aparelhos pode provocar discussões entre os membros da família. É preciso planejar e procurar atividades fora das telas.

Irritabilidade
O estresse e a ansiedade, que o distanciamento proporciona, podem tornar qualquer problema em um grande conflito. É preciso respirar, conversar e saber o que está incomodando. Comunicação nessas horas é fundamental.

Privacidade
Ter todos em casa o tempo todo pode dificultar a privacidade e gerar conflitos. É importante manter ambientes individuais que prezem a individualidade dos membros da família em alguns momentos.

Rotina organizada
É importante manter uma rotina básica no dia a dia. O tempo preenchido dá a sensação de estar fazendo coisas boas para si e para os outros. Mas essa rotina não deve ser rígida, para evitar que cause mais estresse. É preciso ter flexibilidade.

Home office
Trabalhar em casa pode não ser compreendido como trabalho pelas outras pessoas da família, que podem interromper o compromisso, gerando aborrecimentos. Se não tiver um lugar reservado, combine os horários para evitar discussões por causa de barulho ou uso dos equipamentos.

Medo de adoecer
Podem surgir conflitos devido à pressão pelo medo de adoecer. O problema ocorre quando algumas pessoas da família ficam em casa e outras continuam saindo ou querendo sair, desrespeitando o isolamento e gerando brigas e discussões.

Visita de pais separados
Mesmo não morando na mesma casa, os conflitos podem surgir entre as famílias. Como é o caso de visitação de pais separados. O Poder Judiciário tem enfrentado situações parecidas. Uma solução encontrada é que sejam permitidos contatos diários via digital.

Aulas em casa
As aulas online têm exigido muito tempo das crianças e dos jovens, que precisam ficar por horas com a atenção em telas, o que pode gerar estresse e problemas físicos, além das dificuldades emocionais e nas relações. Os pais devem apoiar e supervisionar os filhos nas atividades escolares, mas tente evitar o estresse. Organize o tempo e faça pausas.

Reportagem de Lorrany Martins para Tribuna Online. Imagem de Freepik

OUTRAS INFORMAÇÕES

Reportagens em vídeo: posocco.com.br/tv
Reportagens em áudio: posocco.com.br/radio
De Olho No Seu Direito: posocco.com.br/#videos
Estes conteúdos também são encontrados no SoundCloud e no YouTube.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Facebook: facebook.com/PosoccoAssociados
Instagram: instagram.com/PosoccoAdvogadosAssociados
YouTube: youtube.com/PosoccoAdvogadosAssociados
SoundCloud: soundcloud.com/posocco
WhatsApp: (13) 99200-9191 e (11) 99217-5115

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *