Compartilhe esse conteúdo

É preciso analisar as condições e escolher a opção

O síndico desempenha um papel fundamental no dia a dia do condomínio. E zelar pelo bem-estar do condomínio e dos moradores está entre suas principais tarefas. Por isso, exige-se atenção, paciência, disposição e muito jogo de cintura para lidar com alguns conflitos.

Para gerir todas as responsabilidades sem deixar nenhuma tarefa de lado, recomenda-se que este profissional tenha um bom planejamento e um cronograma de metas. E entre as suas obrigações estão: gerenciar os funcionários, fazer manutenções, acertos de contas, convocação de assembleias e etc.

E quando se fala em síndico surge à dúvida: qual é a melhor opção para o condomínio? O síndico morador ou o terceirizado? Para o advogado Alexandre Berthe Pinto, o síndico profissional é aconselhável nos condomínios em que há conflitos tradicionais entre moradores, que precisam de reformas constantes.

Já no caso de colocar o morador como síndico, a advogada do escritório Posocco & Associados diz que é indicado em caso de condomínios menores e mais simples. “Deve-se levar em consideração a responsabilidade, comprometimento e imparcialidade do síndico morador na tomada de decisões e providências em benefício do coletivo”, explica a advogada Viviana Callegari, especialista em direito imobiliário do escritório Posocco & Associados Advogados e Consultores.

Contar com um síndico morador garante algumas vantagens, uma delas é que ele está presente para resolver eventuais problemas. “O custos também são menores, já que ele tem a isenção da taxa condominial. O síndico morador conhece os vizinhos, e com isso, consegue fazer a política da boa vizinhança”, garante Berthe.

Entre as desvantagens do síndico morador, segundo a advogada está na parcialidade em casos de conflitos entre condôminos que pode ocorrer, além do tempo restrito para o condomínio, em razão do exercício de sua profissão.

Ao escolher um síndico, é necessário refletir nos prós e contras, pois o profissional procura agir com imparcialidade, mas por outro lado não está presente diariamente na rotina dos condôminos. Já o morador que possui uma presença diária, muitas vezes não tem o conhecimento em administração e gestão.

Por isso, é preciso analisar a situação do prédio e escolher a opção que mais se enquadra no perfil do condomínio com o melhor custo x benefício. E lembre-se sempre que síndico desempenha um papel importante no dia a dia de um condomínio.

Esta reportagem foi escrita por Fabiana Maia para SP Imóvel. Foto: Katemangostar/Freepik

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *