Compartilhe esse conteúdo

O De Olho No Seu Direito fala sobre roubo de joias guardadas em cofre de banco.

Geralmente, isso ocorre porque os clientes do banco acabam fazendo um contrato de penhor.

O penhor é uma linha de crédito onde o cliente vai ao banco solicitar um empréstimo e em  troca deixa como garantia qualquer objeto feito em ouro, prata, platina, diamante e pérola.

Muitas pessoas recorrem a este contrato, porque recebem o dinheiro na hora,  sem análise cadastral ou avalista.

Depois, basta pagar os valores do empréstimo nas datas de vencimento e pegar de volta a peça empenhada.

Pelo período do contrato, a joia fica guardada no cofre do banco.

Mas, o que acontece se houver um assalto na agência e seu objeto de valor for roubado?

Quando isso acontece, o cliente do banco tem direito ao ressarcimento integral do valor de mercado das joias empenhadas. Calculado, inclusive, sobre as gramas de ouro das suas joias.

O banco, sabendo que está errado, tem a responsabilidade de indenizar. E costuma fazer uma proposta com valores muito baixos.

Antes de assinar, peça uma cópia dessa proposta e leve para um advogado de sua confiança, o Procon ou a OAB da sua cidade para avaliar se os valores sugeridos estão corretos.

Além disso, por conta da falha da instituição financeira, o cliente pode pedir na Justiça uma indenização por danos morais e por danos materiais.

Veja o vídeo

Imagem: Bet Noire/iStock 

OUTRAS INFORMAÇÕES

Reportagens em vídeo: posocco.com.br/tv
Reportagens em áudio: posocco.com.br/radio
De Olho No Seu Direito: posocco.com.br/#videos
Estes conteúdos também são encontrados no SoundCloud e no YouTube.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS

Facebook: facebook.com/PosoccoAssociados
Instagram: instagram.com/PosoccoAdvogadosAssociados
YouTube: youtube.com/PosoccoAdvogadosAssociados
SoundCloud: soundcloud.com/posocco
TikTok: tiktok.com/@posocco
WhatsApp: (13) 99200-9191 e (11) 99217-5115

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *